domingo, dezembro 13, 2009

Paleontologo orgulhoso (?)

Sento-me, a horas improvaveis, numa cadeira desconfortavel do Shuler Museum e reparo no que tenho em volta. Para alem dos fosseis empilhados em armarios de metal, para alem dos cranios impressionantes de fitossauros, para alem dos esqueletos articulados de criaturas bizarras... vejo discussoes inflamadas sobre os detalhes da Evolucao, vejo ideias e resolucoes interessantes baseadas nos mesmos fosseis bizarros, vejo horas que escoam num domimgo lamacento no topo de uma arriba, vejo os olhos que brilham quando alguem diz no campo "Vejam so o que encontrei!", oico o martelo percurssor do laborioso preparador... e, penso... Caracas, por mais que quisesse nunca conseguiria encontrar uma profissao como esta porra...

Todas as horas que dispendi a tirar fotocopias de artigos obscuros e que nao serviam para nada, que dispendi a encharcar as botas de lama e voltar a casa com meia duzia de pedras no bolso, que dispendi a fritar os olhos a frente do computador aguardando que ele me desse resultados desoladores... todas essas horas, nao as dou a ninguem.

'As vezes ate me custa mesmo perceber como e' que alguem pode gostar de outra coisa senao paleontologia... quem e' que gosta de metalurgia, bolas? De contabilidade? Tenho de me contorcer para compreender isso, sim, eu sei, gostos nao se discutem...

1 comentário:

MauFeitio disse...

Posso falar pelo mundo das obras, nomeadamente pela geotecnia: horas a fio passadas à chuva, ao sol, a discutir com clientes, fornecedores, subempreiteiros, a fazer meticulosamente as contas da obra para perceber quanto se está a ganhar ou a perder, a ter de ser assistente social e ouvir os problemas dos trabalhadores, a ter de ser má e cruel para se atingirem os objectivos.... Mas depois, no fim da obra, saber que aquilo só existe por, sem se ver, enterradas no subsolo, estão as estruturas que criámos, que ninguém mais vai ver, mas que permitem que tudo aquilo esteja de pé! Não sei como é que alguém pode não querer ser engenheiro ;-)