quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Como sabemos a data dos fósseis?

A datação dos fósseis é mais simples do que parece caso a área esteja bem estudada e caso não queiramos rigor abaixo da unidade de datação geológica, que é um milhão de anos.

As Carta Geológicas, editadas pelo antigo Instituto Geológico e Mineiro, dão o tipo e idade de rochas de determinada área. Se a carta estiver bem feita, basta saber a localização exacta para determinar o tipo de unidade geológica e a respectiva idade.
Por exemplo, no caso do ninho de ovos de Paimogo, a Carta Geológica indica que se encontra em rochas do Jurássico Superior, mais concretamente no topo da Unidade Amoreira-Porto Novo. Esta unidade está datada do Kimmeridgiano Superior/Titoniano, isto é, com cerca de 150 milhões de anos.

O recurso a métodos radiométricos de datação absoluta é dispendioso e, muitas vezes, desnecessário tendo em conta o conhecimento que se tem da geologia da área. O famoso método de datação com base em isótopos de carbono, o Carbono 14, não serve para datar fósseis tão antigos porque o Carbono 14 tem uma longevidade de apenas alguns milhares de anos.

2 comentários:

Profundezas disse...

Parabens, este blog está fantástico, já o linkei ao meu.
Dino-saudations.

Fernando Martins disse...

Infelizmente as cartas são editadas pelo antigo Instituto Geológico e Mineiro... Parece-me que o actual INETI "esquece" muito a geologia...

Doutor Octávio, continue... iste blog é uma inspiração e uma benção para a Geologia em Portugal...!